Nem tudo são flores…

Preciso dizer que não curti o primeiro trimestre da gravidez.

Não, calma, espera. Eu AMO estar grávida. Todos os dias quando me olho no espelho eu sorrio pra mim mesma de tanta felicidade de pensar que estou gerando uma pessoinha dentro de mim. É um sonho!

Mas eu não curti as 12 primeiras semanas, não. Meu corpo é muito previsível, eu sou muito certinha, e achei muito ruim perder o controle sobre tudo. Fora aqueles sintomas que eu não esperava, a cada semana, era uma surpresa!

O pior de tudo foi o sono. A total falta de disposição para qualquer coisa que não fosse dormir. Hoje eu olho pra trás e parece que todo o resto ficou em standby nesse período. Qualquer atividade fora do horário comercial estava fora de cogitação, a programação dos finais de semana tinha que pegar leve, com possibilidade de cair no sono a qualquer momento. Dormi no meio de um churrasco, dormi na sala com visitas, dormi no meio da festa junina, não saí do sofá durante o aniversário do meu sobrinho. Dormi, dormi, dormi.

No fim de semana imediatamente depois que completamos 12 semanas, tudo isso passou. E eu finalmente consegui ir a uma reunião de um evento que ajudo a organizar; consegui ir visitar o filho de uma grande amiga antes que ele completasse 1 mês; voltei a ir à loja do Queridíssimo no sábado, depois de mais de mês; hoje vou a uma sessão da Mostra de Cinema Infantil. Ufa!

E tem também outras coisinhas chatas, como não conseguir comer carne (e ir a um casamento e só comer legumes!), a escassez de roupas logo no início do inverno (nem me adaptei ao clima tenho também que me adaptar ao que ainda cabe – são três a quatro tentativas todas as manhãs!), as camisas que deixaram de fechar na altura do peito (no último evento que apresentei, colei a fresta no meio dos peitos com uma fita dupla face!)  e também as espinhas adolescenticas incontroláveis que não se rendem a nenhum dos meus métodos infalíveis. Tá fácio não. Mas ninguém disse que seria, não é?

E aposto que vou esquecer disso tudo e só vou lembrar quando começar tudo de novo e eu vou pensar “putis, por que me meti nessa de novo??”

Cada semana, uma surpresa

Foi na quarta semana mais ou menos que apareceu o primeiro sintoma: acordar no meio da madrugada e não conseguir voltar a dormir. Depois disso, veio a dor nos seios. E então comecei a notar:

Da 5ª pra 6ª, foi o sono incontrolável
Da 6ª pra 7ª foi a dorzinha de cabeça
Da 7ª pra 8ª foi o enjoo a carne
Da 8ª pra 9ª foi a dor na lombar
Da 9ª pra 10ª foi uma barriguinha tímida
Da 10ª pra 11ª foram as espinhas (mil!!!) nas costas

Qual será a surpresa de amanhã?

12 Sintomas que não esperamos (e que ninguém te conta)

  1. Que o sono é praticamente incontrolável
  2. Mas que ele de repente acaba no meio da madrugada sem quê nem por quê
  3. Que a tua testa vai ficar oleosa como se não houvesse amanhã
  4. Que tu vais descontar a tpm constante em uma única pessoa (a.k.a tua chefe)
  5. Que tu viras adolescente e começas a tropeçar/derrubar/quebrar coisas.
  6. Eu já falei do sono?
  7. Também tem isso, a memória fica meio fraca. Logo a tua, que na família tens a fama de que lembras do tapa que o médico deu no bumbum quando nasceu!
  8. Que de repente começas a ter sonhos enlouquecidos, realismo fantástico que deixariam Gabriel Garcia Marques com inveja.
  9. Que teu cérebro sofre uma mutação, e passa a ser dividido em dois: metade está aqui, e a outra em outro lugar bem distante, acompanhando tudo como se estivesse lá fora.
  10. Que a produção de saliva ultra-amplifica.
  11. Que o desodorante de sempre de repente vence no meio do dia!
  12. Que ocasionalmente tu serás acometida de uma repentina e inexplicável crise de riso. Especialmente antes de dormir.

Quando as horas contam

Ontem foi um longo dia!

Praticamente na mesma hora que recebi o resultado positivo do beta, comecei a ter um sangramento parecido com a menstruação.

Fomos então à emergência da maternidade (em breve um post a parte sobre isso) e o médico pediu para repetir o beta, para sabermos se está diminuindo ou aumentando. Se estivesse diminuindo, não haveria nada a se fazer, significa que eu estaria perdendo o bebê.  Se estivesse aumentando, pediu que eu voltasse hoje lá para fazermos um ultrassom.

Pediu urgência no beta, e consegui que ficasse pronto ontem mesmo.

Acho que das 16h às 18h30, eu e o queridíssimo entramos no site do laboratório umas 20 vezes cada um. Isso que a previsão do resultado era para 18h, mas como foi feito com urgência, poderia atrasar um pouco (na verdade, era para sair só hoje às 17h, mas eles conseguiram adiantar). E às 18h30, o site do laboratório caiu!

Lá pelas 19h30 finalmente consegui olhar: tinha subido para 4.900!!!

Mas, muita calma nessa hora… o sangramento persiste 😦

Hoje acordamos cedo e voltamos para a maternidade para fazer o ultrassom. Nunca pensei que as idas à maternidade iam começar tão cedo na gestação!

No ultrassom, saco vitelínico normal, com 7 milímetros e colo do útero bem fechado. Idade gestacional: 5 semanas e 1 dia.

Não deu para ver o bebê, então o médico disse para voltar daqui a 2 semanas para um novo ultrassom, e fazer outro beta semana que vem caso o sangramento continue…

Estou de repouso até sexta-feira.

Let’s pray!

Esperando o resultado do vestibular…

Vamos à cronologia dos fatos:

20/01/2012: Data prevista pra menstruação, que não veio
23/01/2012: Primeiro  teste de farmácia deu negativo. Ou melhor: com uma listra forte e outra beeeeeeeeem (mas bem mesmo) fraquinha
24/01/2012:  Segundo teste de farmácia deu igual ao primeiro
25/01/2012: Exame de sangue deu negativo
26/01/2012: Consulta no plantão da maternidade, o médico disse “Com certeza tu não estás grávida. Vou te passar esse remedinho pra fazer a menstruação descer, e esses exames (hemograma, hormônios, prolactina, e outro betahgc porque eu pedi).  Volte aqui quando a menstruação descer com os exames e o laudo do ultrassom”
27/01/2012: Os resultados dos exames começaram a sair, e o betahcg deu negativo. Comecei a tomar o tal remedinho receitado pelo médico.
28/02/2012: Fui fazer o ultrassom (trans). Tudo certo por dentro, alguns minicistos que não indicavam problema e a sentença do médico: “Aqui é o endométrio esperando a ovulação. Se você estivesse grávida, o bebê estaria aqui”.
05/02/2012:
Último dia de remedinho, já era pra ter vindo a menstruação, então esperei mais uns dias.
08/02/2012: Saí pra trabalhar com uma saia de cintura alta (mas peraí, o que tem a ver o c* com as saias calças? calma). No final da manhã, a saia estava apertando muito na barriga, de um jeito estranho e dolorido. Decidi então fazer mais uma vez o de farmácia, mesmo o médico e os exames garantindo que não existe gravidez. Não custa nada (além dos R$4,50 do kitzinho) fazer outro, não é mesmo? No meio da tarde, levantei da minha mesa no trabalho, fui de bolsa e tudo até o banheiro, respirei fundo, xixi no potinho, palitinho no xixi, e plim! Menos de 20 segundos depois, suas listras grossas apareceram piscando e soltando fogos de artifício!
OMG! Respirei fundo e tentei voltar a trabalhar normalmente. Matutei e matutei: será falso positivo? Mas eu não sinto nada… Mas e essa dor nos peitos? Mas e esse tal remedinho que o médico deu? Teria ele provocado um falso positivo? Só pode ser…
No fim do expediente, achei que eu não devia simplesmente falar pro queridíssimo: “então, apareceram duas listrinhas, mas não quero criar falsas expectativas…” Então, passei numa papelaria, comprei uma caixinha de presente, passei numa loja de bebê, que estava fechando, e na correria comprei um parzinho de sapatinhos de crochezinho (cosa fofa!) e coloquei dentro. Chegando em casa, enfiei o palitinho mijado (depois, uma nota a parte sobre o tal do palitinho) no meio dos sapatinhos e entreguei pra ele.
Ele tinha me prometido levar um bombom. Mas esqueceu. Então, eu entreguei o presentinho pra ele e disse, enquanto ele abria: “Vai nascer com cara de bombom!”
Imediatamente depois, falei sobre minhas suspeitas do falso negativo e decidimos ir fazer o exame no dia seguinte.
Muita calma nessa hora! Ufa, que dia longo!
09/02/2012: Fomos ao laboratório e pedi pra fazer o exame que mostra a dosagem de hcg, já que os outros só diziam negativo, sem provas. O exame (pasmem!) vai ficar pronto só dia 16/02.

Fim!

10 sintomas da gravidez que não esperamos

pregnancy tip #1
Sempre ouvimos sobre os enjoos, o sono intenso, os pés inchados. Imagino que quando aparece algo diferente disso, as grávidas devem imaginar que isso só acontece com elas. Então vamos ver os 10 sintomas esquisitos listados pela colunista do site Babble, após uma pesquisa com amigas e leitoras:

  1. Espinhas por toda parte (incluindo pescoço, peito e costas)
  2. Orgasmos durante o sono
  3. Aversões surpreendentes a algumas comidas
  4. Gases
  5. Dores musculares nas coxas
  6. Bumbum mole
  7. Enxaqueca
  8. Mãos dormentes
  9. Libido intensificada
  10. Corisa

Livre tradução daqui