A natureza é sábia

Acabo de voltar do último ultrassom desta minha primeira “gestação”. O laudo diz claramente: aborto completo.

“A natureza é sábia”, foi o que eu ouvi logo quando tudo isso começou. Não de uma, nem de duas, mas de muitas pessoas.

Mas eu não me canso de me surpreender. Ela é sábia mesmo.

Durante todo o tempo em que tínhamos alguns fiapos de esperança de levar a gestação adiante, eu pensava sobre isso. A natureza está querendo me avisar algo. E se eu estiver tentando prolongar algo que é incompatível com a vida?

A natureza é sábia, rejeita aquilo que não é perfeito.

Se é triste? Claro que é. Se eu chorei? Claro que sim. Se eu torci mentalmente para que fosse mais um daqueles casos surpreendentes da medicina? Claro que sim.

Mas desde o início eu li muito. Não tinha muito mais o que fazer, além de esperar e ler. E li que o que estava acontecendo comigo coincidia com muitos outros casos de aborto espontâneo: sangramento, cólica, crescimento lento dos valores de beta hcg.

Talvez por eu não ser ainda realmente mãe, eu tenha sofrido menos do que outras mulheres que já passaram por isso. Mas o resultado positivo veio exatamente no dia em que comecei o sangramento. Fui e comecei a deixar de ser mãe no mesmo dia.

A natureza é sábia. O universo, também. Todos os laboratórios do mundo divulgam o resultado do exame de sangue no mesmo dia. Mas não, eu fui a um único que demora sete dias para dar o resultado. Com isso, fui poupada e absorver a maternidade e do sofrimento de perder algo que eu já estaria amando.

Algo dentro de mim sempre desconfiou que algo não estava certo. Claro que é fácil falar agora, que tudo acabou. Mas não acreditei no teste de farmácia, e desde sempre combinamos que só divulgaríamos a notícia após o primeiro ultrassom. “Só acredito vendo” eu disse diante do palitinho com duas listrinhas.

Isso tudo me ajudou a processar melhor tudo isso por que passei.

A natureza é sábia. Rejeitou algo que não tinha compatibilidade com a vida, e permitiu que meu corpo se encarregasse de expeli-lo naturalmente.

Fico feliz de ter confiado no meu instinto, diante de uma médica que queria me internar para fazer a curetagem. Fico orgulhosa de ter tido a coragem de contrariá-la e decidir esperar a vontade do meu corpo.

Maternidade é espera. Foi uma das lições que aprendi com tudo isso.

Esperei, e meu corpo deu conta do recado. Obrigada, corpo!

A quem interessar: três semanas foi o tempo que meu corpo levou para dar conta do recado. Seria mais fácil ter resolvido isso na semana passada, com um procedimento médico? Sim. Mas preferimos deixar que o corpo processasse tudo isso e “entendesse” o que aconteceu. E ontem o sangramento cessou. (viva!)

(imagem: WeHeartIt)

Anúncios