Pelo respeito à mulher e suas escolhas.

Eu tenho muito medo de ser desrespeitada no momento mais importante da minha vida, que é o dia em que vou receber o meu filho. Medo de cair em mãos erradas e fazer escolhas contra a minha vontade. Por isso, apoio a marcha, e me arrependo muito de, na minha inércia, não ter saído de casa no último sábado para fazer parte da Marcha aqui na minha cidade.

(Video publicado inicialmente aqui)

Anúncios

Defensora do parto em casa morre após dar à luz

Atualização 02/02: Antes de ler este texto, por favor, prefira ler este aqui, do blog Mamíferas: Fazendo a caveira do parto domiciliar

Uma história triste: na Austrália, uma mulher conhecida pela defesa do direito ao parto em casa faleceu um dia após ter sua bebê com ajuda de uma doula. Eu acredito muito que tenha sido uma fatalidade. Mas uma investigação é muito bem-vinda para descobrir se houve algum tipo de erro, ou pré-disposição não investigada antes do trabalho de parto.

Link da notícia no Daily Mail aqui. Tragic: Caroline Lovell died delivering her own baby daughter at home

É um fato muito triste, e que dá mais argumentos àqueles que acreditam que uma mulher não é capaz de dar à luz sem o auxilio de uma equipe médica. Uma coisa que é para ser natural, parte de nossa biologia está sendo transformada em um mito, uma doença, uma situação de alto risco.

Não estou aqui criticando aqueles que optam por ter seus filhos no hospital – longe de mim. Felizmente a ciência evoluiu o suficiente para garantir o máximo de conforto e tranquilidade num momento tão especial na vida da mulher, e de sua familia. Felizmente temos equipes fantásticas nos hospitais Brasil e mundo a fora que revertem situações críticas e garantem a vida de mãe e bebê após complicações surgidas no parto.

O que questiono é somente o fato de que estamos esquecendo, em nossa sociedade, que o parto é para ser algo natural, que ocorre após um processo químico e biológico naturalmente desenvolvido por nosso corpo, e que nossa anatomia é feita para dar à luz.

O último médico com quem me consultei falou “o fato é a mulher não foi feita para menstruar – mas sim para passar a vida alternando entre a gravidez e a amamentação”. Quer dizer, nosso corpo é naturalmente construído para a gestação e o parto.

É claro que há complicações, e por isso torna-se muito mais seguro estar perto de uma equipe médica durante o trabalho de parto. O que aconteceu a Caroline, na Austrália, pode ter uma centena de explicações. Não quer dizer que por que ela, que era ativista do parto em casa, morreu, que outras mulheres correm o risco de falecer se optarem ter seus bebês no conforto e intimidade de seus lares, não é?

Parto em casa: alguns fatos (segundo o Daily Mail)

A Mother and newborn baby
  • Na Inglaterra, 1 em cada 50 bebês nasce em casa e as mulheres são normalmente assistidas por um profissional, como as doulas.
  • Muitas mulheres optam pelo parto em casa pois preferem um ambiente relaxado e familiar, e preferem evitar visitas ao hospital.
  • A segurança do parto em casa é um assunto frequente de debates e muitos experts têm apoiado que esta técnica seja banida.
  • Eles argumentam que as mulheres que dão à luz fora de um ambiente clínico estão colocando a si e a seus bebês em risco.
  • Em muitos países desenvolvidos, o parto em casa declinou rapidamente ao longo do século 20. Nos Estados Unidos, por exemplo, o parto em casa caiu de 50% em 1938 para menos de 1% em 1955.
  • De acordo com a Associação Americana de Gravidez (American Pregnancy Association) os riscos associados ao parto em casa incluem sofrimento fetal,  prolapso do cordão, hemorragia e pressão alta.
  • Novos dados sugerem que o parto em casa subiu cerca de 29% nos EUA impulsionado pela influência de celebridades de Hollywood, melhores medidas de segurança e baixos custos.

Leia mais: http://www.dailymail.co.uk/health/article-2094348/Caroline-Lovell-Home-birth-advocate-dies-delivering-baby-daughter-home.html#ixzz1l3ckWnuy

Se falei alguma besteira, por favor, me corrijam!