Por que meninos usam roupa azul e meninas, rosa?

Vocês sabiam que até o século 19 não tinha essa de roupinhas de bebê para meninos ou para meninas? Todos usavam vestido branco até os quatro anos, e sapatinho estilo boneca. Isso porque as roupas eram caras, e acabavam sendo usadas por todas as crianças da família.

Foi nos EUA que começou a haver essa separação, mas curiosamente, o rosa era para meninos, e o azul, para meninas.Depois, misteriosamente, isso se inverteu… Eu não sabia disso… aprendi hoje lendo a coluna de Clarice Reichstul, para a Folhinha.

E, como ela mesmo diz, adotamos essa prática dos americanos que acaba saindo caro, já que ao escolher rosa para meninas e azul para meninos, optamos por fazer todo um enxoval novo para cada bebê da família que nasce!

Eu, particularmente, não curto muito esse negócio exagerado, principalmente de rosa para meninas. mas dizem que quando tu colocas a primeira roupinha rosa na tua filha, é amor a primeira vista e não queres mais outra cor! Aqui em casa já decidimos que o quarto vai ser colorido, antes mesmo de saber o sexo!

Sobre brinquedos para menininhas

Não é de hoje que me incomoda o fato de que praticamente todos os brinquedos infantis são feitos só para meninos ou só para meninas – estes últimos, invariavelmente rosa-choque. Tenho quatro sobrinhos, sendo que o mais velho nasceu há 16 anos e a mais nova, há dois. E percebi, ao longo destes anos, uma gritante evolução do sexismo entre os brinquedos.

FIca mais claro quando olhamos para os brinquedos para meninas. Aqueles jogos, quebra-cabeças, bonecos e aparatos tão legais quando presenteávamos os meninos, agora só encontramos na versão heróis ou princesas. Nada de brinquedos em cores primárias ou neutras. Eles são diretamente relacionados a marcas ou personagens.

Nos Estados Unidos, um grupo se uniu e criou a petição LEGO Friends Petition: Parents, Women And Girls Ask Toy Companies To Stop Gender-Based Marketing (Petição LEGO Friends: Pais, Mulheres e Meninas pedem às empresas que parem com o marketing baseado em gêneros). O movimento surgiu após a LEGO lançar, em dezembro, uma linha de brinquedos direcionada para meninas, com o nome LEGO Friends. Nela, as peças são predominantemente rosa e tons pastéis, e relacionadas a casa, maquiagem e festas. O grupo argumenta que não há necessidade desse tipo de produtos enquanto os brinquedos da LEGO são atraentes para meninas por si só. Acontece que havia anos a companhia vinha direcionando seu marketing aos meninos, com navios pirata, naves espaciais e monstros em geral e sentiu a perda do interesse das meninas ao longo dos anos. A solução foi criar kits mais “femininos” chamados LEGO Friends.

Recentemente a pequena Rylei Maida, com apenas 4 anos, expressou a indignação com esta separação clara entre produtos femininos e masculino nas lojas de brinquedo: “Por quê as meninas têm que ter coisas rosas, e os meninos podem ter brinquedos de todas as outras cores?”. A revolta da pequena traduz a mobilização gerada entre os pais um pouco mais conscientes:

O que os pais querem é que as marcas voltem a produzir brinquedos mais unissex, sem limitar meninos e meninas a um pequeno quadrado de possibilidades. O site The Huffingtonpost produziu um video rebatendo a campanha da LEGO que mostra que as meninas podem, sim, se divertir com as pecinhas da LEGO sem que necessariamente sejam rosas e tons pastéis. Desta forma, conseguem criar o que quiserem, desenvolvendo capacidades motoras, criativas, espaciais e matemáticas.

Por fim, o site lista ainda imagens que mostram como os brinquedos clássicos de nossa infância sofreram alterações rumo a detalhes mais femininos e menos infantis:

Este slideshow necessita de JavaScript.

Fonte: HuffingtonPost

Aceite o mistério…

Esses dias estávamos na casa de um casal de amigos e a anfitriã resolveu fazer um tal de teste da agulha para descobrirmos quantos filhos vamos ter, quais os sexos, e a ordem em que nasceriam. Eu não conhecia, então ela fez nela para mostrar que funciona:

Com uma agulha presa a uma linha (uns 10 centímetros mais ou menos), ela segurou a ponta da linha deixando a agulha pendente, posicionou sobre o seu pulso e mostrou: “ó, começou a balançar em forma de círculo porque primeiro eu tive a minha filha…agora a agulha vai parar de balançar e vai começar de novo, sozinha a ir de um lado para o outro, indicando o nosso filho…”

Dito e feito, a agulha parou de balançar sozinha e, também sozinha, passou a ir de um lado para outro, tipo um pêndulo, em linha reta. A seguir, a agulha parou de balançar e não se mexeu mais: “isso por quê eu fiz laqueadura”, ela explicou.

Então, para comprovar a eficácia do teste, ela mostrou o comportamento da agulha sobre o pulso de seu marido, que é pai somente do segundo filho. A agulha balançou em linha reta por alguns segundos, parou, e não voltou mais a se mexer!

Ficamos incrédulos, mas ela garante que acontece sempre a mesma coisa quando eles fazem esse teste: uma menina e um menino para ela; somente um menino para ele.

Então, todos ficamos curiosos pra saber o que a tal da agulha ia falar de nossos filhos! Claro!

Junto estava também um outro casal (juntos há 5 anos) e um grande amigo nosso que é solteiríssimo de marca maior.

Então o teste foi feito no próximo casal. Sobre o pulso dela, a agulha passou a desenhar um círculo no ar e, sozinha, parou. Não voltou a se mexer mais. Sobre o pulso de seu marido, a agulha teve exatamente o mesmo comportamento, indicando que ambos teriam uma menininha.

Daí foi a nossa vez de fazer! Ela posicionou a agulha sobre o meu pulso, e então a agulha começou a balançar para a frente e para traz: um menino! Depois, a agulha parou por poucos segundos e voltou a balançar sozinha no mesmo movimento: ih, danou-se outro menino! Quando eu achava que seriam apenas dois meninos, a agulha voltou a balançar mais uma vez, só que dessa vez em círculos! Dois filhos e uma filha, será?!

Depois, nossa amiga foi fazer o teste com o digníssimo. E não é que a agulha começou logo de cara a girar? O teste marcou primeiro uma menina para ele, depois um menino, só que depois alguma coisa aconteceu que não conseguimos fazer até o final.

A primeira coisa que eu pensei foi: “tá vendo, primeira prova de que esse teste é a maior furada!” Mas imediatamente uma pulguinha veio voando, pousou na minha orelha e fiquei pensando: “Como assim Brasil, o resultado tinha que ser o mesmo! Será que não vamos ter os mesmos filhos? Será que vamos nos separar? Mas essa briguinha de ontem foi a maior besteira, não é possível que nos leve ao divórcio!” Aloca… como se dessa agulha dependesse o nosso futuro!

Bom, alugns minutos depois, o teste voltou a ser feito, só que dessa vez com o nosso amigo solteirão. E não é que a agulha sim-ples-men-te não se mexeu?? Ficou ali, congelada, parada, estagnada!

“Você é um zuado!” Foi o veredicto da turma! Ahahah!

Mas a pulguinha ficou ali no canto da orelha e não sosseguei enquanto não fizemos de novo o tal do teste! Fui lá na despensa, peguei outra agulha e fui me auto aplicar o teste em mim mesma!

E então a prova real foi: primeiro, um círculo! Segundo, linha reta! E terceiro: outra linha reta!

Aplicamos o teste no digníssimo e o resultado foi o mesmo! Uma filha e dois filhos.

Pra garantir, fizemos duas vezes e novamente a agulha teve o mesmo comportamento. Sozinha, começa a girar, para, imediatamente começa a balançar em linha reta, para, e volta a balançar. Tudo sozinha. Depois o terceiro movimento, não se move mais.

Pra tornar tudo ainda mais curioso, nossa querida amiga contou que fez o teste em um outro casal de amigos, pais de um casal de gêmeos. O resultado para o pai é primeiro menino e depois menina; e para a mãe é ao contrário primeiro menina e depois menino. Será que teremos gêmeos, e por isso o teste deu diferente na primeira tentativa? Ou pior: trigêmeos??

Medo.

Enfim, se é verdade ou não, só o tempo dirá!

Por enquanto, o que posso dizer é o que sugere o título deste post: aceite o mistério…

Placar: Meninos 3 X 4 Meninas

No momento, tenho sete amigas grávidas.
Uma delas, que já é mãe da Sofia de 1 ano, acabou de me ligar dizendo que vai ter um menino!
Mas a balança menino X meninas ainda está pendendo para elas.
Até o momento, são 4 amigas esperando meninas (Julia, Cecília, Helena e Joanna) e 3 amigas esperando meninos (Henrique e dois nomes ainda indefinidos).

Será que vou contribuir pra equilibrar a balança, ou pender ainda mais pro lado delas?

*Atualização 23/11/11: A irmã da mãe do Henrique também está grávida, esperando a Maria Fernanda. O que faz o placar pender ainda mais para as moças em 5 X 3