Encontramos nosso médico!!

Eu já comentei aqui que durante todo o processo de aborto por que passei, minha maior frustração era não ter um médico pra chamar de meu. Alguém em quem confiar e para quem eu pudesse voltar a qualquer momento, que me conhecesse e pra quem eu não tivesse que contar todas as histórias de novo, e de novo.

Até tentei uma nova médica, agendada em caráter de urgência pelo plano de saúde, mas não fui com a cara dela. Tanto que foi ela quem solicitou o último ultrassom e não voltei lá para mostrar.

Ao todo, passamos por seis médicos durante o aborto,  assim tive a oportunidade de conhecer os mais variados perfis de profissionais. Se tem como tirar alguma coisa boa nisso tudo, essa foi uma.

Quando tudo já tinha acabado, decidi então marcar uma consulta com algum médico, assim poderia já ter algum de confiança quando voltasse a engravidar. Sendo assim, entre os seis que nos atenderam, eu e o queridíssimo escolhemos aquele com quem mais nos identificamos, que por acaso foi o primeiro que nos atendeu no primeiro dia de sangramento.

Depois de longas semanas de espera, finalmente ontem tive meu encontro com o Dr. Fernando.

E que encontro feliz!

Primeiro de tudo, porque ele lembrou de mim. Lembrou que eu tinha me consultado com ele lá no plantão da maternidade, e aos poucos foi lembrando do meu caso. Aí ele já ganhou uns pontos comigo!

Foi me conquistando aos poucos quando disse que não é a favor da curetagem, que eu fiz certo ao esperar pelo aborto natural, e que se minha menstruação já veio eu estou prontíssima para voltar a tentar.

Mas ele ganhou mesmo o meu coração quando eu perguntei sobre o parto. Confessei a ele que li relatos de parto que tiveram sua participação e ele afirmou: “Pra mim, o parto é seu, seu e do seu marido. Eu estou ali para acompanhar.”

Nunca pensei que fosse ser tão rápido encontrar um médico pra chamar de meu!

É dada a largada!

Mês passado a menstruação não veio. Foi aí que começamos a pensar seriamente em ter nosso bebê. Simplesmente não veio como se fosse a coisa mais simples do mundo: oi, eu sou a menstruação e nesse mês eu não venho; volto aqui mês que vem, ok?

Ano passado ela vez uma dessa também: simplesmente se recusou a aparecer. Eu morando em São Paulo, namorado em outra cidade, eu cheia de projetos a mil no trabalho e a menstruação se recusa a vir. Confesso que deu uma pontinha de felicidade de imaginar um baby vindo por ali… mas simplesmente não era a hora. Namorado já estava pronto pra pegar o primeiro avião pra São Paulo para me apoiar nesse momento, mas aí fiz um exame de sangue e era alarme falso.

Foi por isso que dessa vez eu não me assustei tanto. Até me animei um pouquinho. Hoje temos nossa casa, moramos na mesma cidade, tenho um emprego estável e podemos tranquilamente partir para o próximo nivel.

Garanti ao namorado (sim, mesmo estando em toda essa fase do relacionamento continua sendo namorado – ainda espero o pedido) que não era nada de mais, mas ele já começou a beijar minha barriga e imitar um bebê gritando “mengo”lá de dentro!

Mesmo sabendo que não seria nada demais, secretamente fui a uma farmácia no shopping e comprei o tese de caixinha. Fiz lá mesmo no banheiro do shopping e tive a confirmação: negativo.

Mas esse alarme falso foi o start up que precisávamos, o sinal divino, a senha, o chamado para finalmente decidirmos: chegou a hora!

Bom, mas como nesse momento eu já tinha decidido começar a cartela de pílulas, decidimos esperar acabar para dar a largada. Mas daí que eu esqueci dois dias seguidos (olha o inconsciente aí gente!) e hoje a menstruação resolveu dar as caras.

Com efeito, decidimos parar de enrolação. A partir de hoje não tem mais pílula aqui nessa casa e bendito seja o fruto!