Pensando na volta ao trabalho…

Mas já?

Sim, eu penso na volta ao trabalho desde o dia em que o Ben nasceu (tá tá, uns dias depois, vai..).

Acontece que essa semana fui no meu trabalho assinar minhas férias. Eu tirei 120 dias de licença, mais 30 de férias. Então, a partir do dia 16 de abril começam a contar oficialmente os meus últimos 30 dias de licença com o Ben (todas chora!!!). Extra-oficialmente, eu estou contando que  terei mais 45 dias, pois nossa pediatra já sinalizou que vai nos dar um atestado de amamentação exclusiva de 15 dias.

Com isso, voltarei ao trabalho quando o Ben estiver com 5 meses e meio. E já estou pensando como faremos para conseguir alcançar os 6 meses de amamentação exclusiva.

E a pergunta que todos me fazem quando me encontram: e quando tu voltares, onde ele vai ficar?

Já temos decidido que ele vai ficar numa escolinha. E temos atualmente três opções: escolinha perto de casa, escolinha perto do meu trabalho e escolinha pública.

Na pública, são 15 bebês por turma, sendo que quando fui inscrever o Ben a turma ja estava fechada, e na classificação por renda ele ficou em 14º lugar. Ou seja, temos que esperar praticamente uma turma inteira desistir. Fácil, não?

A escolinha perto do meu trabalho seria a melhor opção não fosse uma questão simples: ela custa os olhos da cara MAIS alimentação. A vantagem é que são só 8 bebê spor turma, e eu posso ir caminhando a qualquer hora do dia para ver o meu pimpolho (ai que sonho… quem sabe se eu vender o carro?).

A escolinha perto de casa fica relativamente perto do trabalho do Queridíssimo, então estamos tranquilos. É uma casa grande, com quintal e numa região que parece uma fazendinha. Achei acolhedora e custa metade do preço da escolinha do Centro, incluindo alimentação.

Pensando racionalmente, a escola perto de casa é a melhor opção, pois podemos deixá-lo lá e eu posso tranquilamente ir de ônibus para o trabalho (é uma boa opção, pois o trânsito na volta pra casa é meio chatinho e aí posso ir dormindo). Pensando emocionalmente, prefiro deixá-lo na escolinha perto do trabalho, mas além de ser muito cara, eu teria ainda que pagar um estacionamento, fora a gasolina para ir ao Centro todos os dias, etc, etc…

Bom, o martelo ainda não foi batido. Vamos observar como vão ficando as coisas, pois ainda por cima temos a possibilidade de a vovó do Ben vir ficar conosco uns dias, para pelo menos completarmos os seis meses de amamentação exclusiva (oremos!).

E se ela não vier?

Bom, é claro que eu já estou pensando em todas as possibilidades. Uma delas inclusive é introduzir alimentação aos 5 meses, para que eu e o Queridíssimo possamos fazer juntos e participar dessa fase importante da vidinha do Ben. Mas sei dos benefícios da amamentação exclusiva até os seis meses então ainda vou pesar os prós e contras (prometo um post só sobre isso).

Então, uma querida amiga vai me emprestar uma bomba elétrica agora esse mês, e já vou testando até pra ver como e quando vou conseguir tirar o suficiente para que ele mame na minha ausência. Já sei que devo calcular 25ml por quilo do bebê (que hoje está com 8kg, como será que vai estar com 5 meses???), e vou providenciar potes de vidro com tampa de plástico para o armzenamento (prometo outro post só sobre isso também).

Ambas escolinhas particulares aceitam manipular o leite materno, o que me deixou mais tranquila. A pública não o faz, então caso numa obra do destino todas crianças resolverem abandonar a escola e o Ben ser chamado, aí vou entender como um sinal divino e preferir introduzir alimentação a dar leite artificial para ele.

Normalmente eu gosto de fazer os posts quando os assuntos já estão resolvidos, pois assim consigo elaborar melhor a questão e mostrar as soluções encontradas. Mas esse assunto creio que vai demorar um pouco para se resolver, então vou deixar algumas sugestões para quem está passando por essa fase (ou até mesmo para grávidas!).

1. Uma dica que não segui de uma grande amiga, mas passo adiante pois devia ter ouvido: comece a procurar escolinhas antes de o bebê nascer. Depois, com ele bebezico, é uma função muito grande ficar de um lado pra outro com o pequeno no carro, entrando e saindo de lugares.

2. O leite materno pode ficar 15 dias no freezer, ou 12 horas no congelador (normas brasileiras). Mas sugiro um mês antes começar a experimentar a ordenha (seja manual, com bomba ou elétrica) e ir avaliando as melhores formas de fazer o armazenamento. Eu vou começar a fazer isso nesse mês.

3. O melhor recipiente para armazenamento de leite materno é um pote de vidro com tampa de plástico. Os potes de nescafé desempenham muito bem essa função, mas eu acho muito grandes. Explico: Como o LM é altamente perecível, uma vez descongelado/aquecido, não pode ser refrigerado novamente, então o melhor é armazenar em pequenas porções e ir utilizando somente o necessário. Encontrei esse site que vende potes de vidro, mas vou pesquisar aqui em Florianópolis se alguma loja vende.

Tenho pra mim que a volta ao trabalho está para a mãe assim como o parto está para a gestante. Assim como passei praticamente a gravidez inteira falando/lendo/pensando sobre o parto, agora passo minha licença às voltas do meu retorno ao trabalho. A diferença é que esse assunto tem uma plateia um tanto menor…

À medida que eu for fazendo novas descobertas nesse campo, volto aqui para contar.

Anúncios

16 pensamentos sobre “Pensando na volta ao trabalho…

  1. Essa questão da volta ao trabalho é complicada mesmo, a minha sorte é que minha licença será de 6 meses e ainda pedirei 10 dias de desconto em férias para passar o meu níver em casa com o Mateus. Depois ele ficará com a minha mãe que faz questão de cuidar dele, já que ela é aposentada e mora pertinho da minha casa. Mas se não tivesse esta opção, ele iria pra creche mesmo. Acho legal essa interação com outras crianças, eles ficam mais sociáveis.

    • Oi Amanda! Dois sonhos: licença de 5 meses e uma vovó disponível pra ficar em casa com ele…
      Hoje em dia as avós ainda trabalham fora, né? Mas estou cantando minha sogra… tomara que ela venha uns dias!
      Beijos

  2. Essa fase é difícil, vc vai com certeza escolher o que for melhor p/ todos vcs, sempre ficamos na dúvida e nos questionando se fizemos a melhor escolha, isso faz parte da maternidade.
    Adorei o teu blog,voltarei outras vezes.
    Bjs

  3. Oi De,

    Passei por isso recentemente e é um verdadeiro sufoco. Tanto que não aguentei a pressão e pedi demissão. Agora, trabalho home office e me programo para ir até a agência 3 manhãs por semana, quando uma babá fica com as crianças.
    Tu chegou a cogitar contratar uma babá? Eu tinha muito receio, mas está sendo uma experiência maravilhosa. Tive sorte e consegui uma pessoa extremamente dedicada e que dá LM para a Clara em um copinho (a Clara aceita muito bem).
    Sobre a ordenha, é bom mesmo começar a fazer tentativas um bom tempo antes. Existe a possibilidade de alugar uma bomba elétrica e, se tu pensar em amamentar por bastante tempo, pode valer a pena investir em uma.
    Eu comprei uma Mini Eletric da Medela e estou muito satisfeita. Paguei aproximadamente R$ 400. É caro? Sim, mas fiz as contas e 3 meses de LA pagam o investimento.
    Outra coisa, quantas horas tu vai ficar longe do Ben? Eu fico 4 horas longe, ou seja, o tempo de uma mamada. O que faço é tirar o leite no dia anterior e não congelar, apenas deixar na geladeira, não faço estoque. Deixo o leite em uma mamadeira BPA free. No outro dia, a babá esquenta em banho maria o leite e dá em um copinho para a Clara.
    Deixo de 50 a 70 ml. Pode parecer pouco, mas para 4 horas é o suficiente para “distrair” a Clara e ela aguenta tranquila até eu chegar.

    Se quiser conversar sobre o assunto pode mandar msg no Face. Sofri bastante com isso e passei muito trabalho até entrar no ritmo da ordenha. Talvez eu possa te ajudar, nem que seja compartilhando os mesmos sentimentos.

    Beijos!

    • Oi Nanda, o problema é que vou ficar 8 a 9 horas por dia longe (ai meu coração)… Vou ter que virar numa vaca leiteira pra deixar leite pra ele!
      Não pensei numa babá, primeiro que sairia quase o preço de uma escolinha cara, segundo que acho mais seguro uma escola, acho estranho colocar alguém na minha casa…
      Li teu post com as dicas… Quem sabe quando eu tiver doiszinhos vai sair mais em conta ter uma babá né?

      • É, com uma carga horária maior é bem difícil! Mas não impossível, nunca esqueça disso! Boa sorte!

  4. Oi Denise, completei 10 meses de amamentação sem nenhum tipo de complemento. É uma grande vitória, especialmente porque voltei ao trabalho quando minha filha tinha 5 meses e meio, moro em SP e longe do trabalho. Então, acho que minha experiência pode ajudar. Sim, é possível continuar amamentando! Mas não é fácil e requer muito planejamento e dedicação! Eu tomo como um compromisso meu com ela e não abro mão! Faço qualquer esforço para ela ter o leitinho dela.
    Minha filha fica numa creche bem na metade do caminho, entre o trabalho e casa e é uma creche CARA, mas que eu AMEI de paixão. Achei que valia a pena, então estamos nos apertando um pouco. Deixo ela por volta de 8hs e busco por volta de 18, 18:30hs. Uma eternidade, mas vocês se acostumam. Ela hoje almoça e janta na creche, o que ajuda muito na nossa rotina.
    Eu comprei uma bomba elétrica da Medela, pois por sorte meu marido viajou quando eu estava grávida, mas alugar funciona também. Ela é minha fiel companheira e uso direto!! Mas eu também comprei uma bombinha manual, pois já precisei me virar em aeroportos, por exemplo. Vale a pena avaliar se você precisa sair às vezes durante o dia. Você precisa também de um gelo artificial e uma sacola térmica.
    1 mês antes de voltar ao trabalho eu comecei a testar a ordenha e fiquei desesperada porque eu conseguia somente 60ml no máximo. É normal acontecer isso, pois aos poucos o seu corpo vai se acostumar!! E com o bebê mamando é mais difícil mesmo tirar leite. Eu tirava após as mamadas ou à noite se ela ia dormir muito cedo.
    Minhas dicas são: no início congele poucas porções de no máximo 80ml, pois ele vai mamar menos no começo e aí não desperdiça muito. Tente começar a testar mamadeiras antes de voltar a trabalhar e sempre outra pessoa dando. Eu não fiz isso direito e minha filha demorou muito a aceitar a mamadeira. Ela ficava mastigando e mamava tipo 30ml!!! Aproveite e dê umas saídas nesse período para vocês irem se acostumando a ficar um sem o outro. E aí, nessas pequenas ausências peça para alguém testar a mamadeira com ele. Às vezes é necessário testar vários bicos e às vezes os bebês só aceitam de colherzinha.
    Eu tirava o leite 2 vezes por dia no começo: 10:30 e 15:30. Dei um jeito de conseguir uma salinha de reunião e pronto. Graças a Deus eu conseguia cumprir os horários na maioria das vezes!! No começo tirava pouco, mas como eu tinha um mini estoque não tive problemas. Depois cheguei a tirar 500ml por dia e acabava sobrando porque ela já tinha começado a comer papinhas e frutas. Então agora eu passei a tirar somente 1 vez por dia e aí tiro cerca de 200ml, que é o que ela toma na creche. A natureza é perfeita!
    Vale mencionar que minha filha é bem magrinha. Aos 10 meses tem 7kg, pra você ter noção! Mas tem mais de 70cm, é super saudável. É o perfil dela mesmo e eu já me desesperei por isso algumas vezes e o pediatra sempre me acalmou! Felizmente, ele nunca cogitou o leite artificial. Ela come bem, mas pouca quantidade e mama pouco também. A quantidade de leite que um bebe precisa é bem variável, mas aos poucos você vai perceber como é o jeitinho dele.
    Para congelar eu desisti dos potinhos porque era muito chato lavar tudo, ocupava muito espaço no freezer… Eu agora só uso uns saquinhos descartáveis da Medela, que encaixam na bombinha. Mudaram minha vida!! Vende pelo ebay e vale a pena fazer estoque, pois não são caros e demoram a chegar. Lembrando que se for quantidade grande, pode ser taxado, mas eu não tive problemas.
    Hoje eu deixo na geladeira do trabalho durante o dia e à noite congelo ainda em porções de 100ml, pois às vezes ela mama somente isso na creche agora que almoça e janta. Eu procuro usar sempre os mais antigos, mas considero 1 mês de validade e não 15 dias. Eu que inventei isso pesquisando por aí, mas nunca tive problemas. Lembre-se que só pode descongelar em banho maria e sem ferver a água.
    Outras dicas: pode tratar de beber água sem parar no trabalho. Água de coco e chá da mamãe também me ajudam muito! Quando estiver com ele, livre demanda geral!! Só quando começar a almoçar e jantar você vai ter que dar uma regulada. Eu nunca dei leite na mamadeira pra minha filha, eu me recuso! Eu praticamente não durmo (rs), mas garanto que ela mame o quanto quiser. Agora estou começando a cogitar tirar a mamada da madrugada, mas vamos ver se terei coragem!
    O que precisar, de verdade, pode me perguntar!!! Eu adoro poder ajudar com esse assunto que pra mim é tão importante!!
    Boa sorte!!!

    • Nossa Tatiana, que aula!!
      Eu só substituiria a mamadeira por copos de treinamento, porque tenho medo de a mamadeira causar desmame… mas vou seguir essas dicas sim!
      Essa semana já vou começar os testes, qualquer coisa, grito!
      Obrigada, mesmo.
      Beijos

      • Eu tb morria de medo da mamadeira, mas ela se adaptou super bem! Vai de um ao outro e nem liga. Mas isso porque ela começou com a mamadeira com 5 meses, antes disso eu tb acho que vale tentar outras opções! : ) Pode perguntar mesmo, eu adoro esse assunto!!

  5. De, em primeiro lugar admiro muito mães como tu que, mesmo com todas as “adversidades” que acompanham a famigerada volta ao trabalho conseguem pensar em todas as alternativas possíveis para priorizar a amamentação exclusiva do bebê. Cada uma de vocês merece um super parabens pelo exemplo que são!

    Estou grávida do primeiro bebê e, olhando aqui de fora (Alemanha) é impossível hoje não achar uma violência que ainda hoje as mães que trabalham fora precisem fazer todo esse malabarismo (férias, adiantamento de férias etc) para completar os 6 meses de licença maternidade. Sem falar dos papais que não têm sequer direito a nada. Realmente é uma causa tão importante quanto lutar contra a violência obstétrica que assola nossa país.

    Independente da escolinha (creche) que tu escolheres, acho que a decisão me parece muito boa, pois também não gosto e não deixaria meu bebê com uma babá. Aqui os bebês tb vão para a creche qdo a mãe precisa voltar ou começar um novo trabalho (geralmente com 1 ano) e o que você falou no post faz todo sentido: deveríamos começar a pensar no local antes mesmo do bebê nascer.

    Siga teu coração de mãe na escolha da creche e tenho certeza que tudo dará certo. Na ordenha do leite tb tenho certeza de que você conseguiré e muito bem!

    Bjos
    Dayse

  6. Menina, que difícil isso……
    Sabe que esse assunto de volta ao trabalho me causa certo trauma? Confesso que ainda não estou bem resolvida (cresce, Daniela, já tem 2 anos que vc voltou a trabalhar!!!)… mas vamos lá!

    Desejo toda melhor sorte do mundo nesse momento que pode ser punk, mas, ao mesmo tempo, pode ser libertador. Conheço mães que adoraram voltar ao trabalho e não estar o tempo inteiro às voltas com fraldas, paninhos, cocôs, comidinhas e afins. Vai de mulher a mulher e isso não compromete em nada a sua capacidade como mãe. Quanto mais perto da data de voltar vc estiver, mais sensível ficará, mas eu te garanto (e lembre-se disso sempre que precisar): Ben não sofrerá! Ele não sofrerá! Nada! Te juro. O que vc sentir, não finja que não sente ou que é assim mesmo. Se quiser chorar, chore. Se quiser sorrir, sorria. Nâo se sinta mal por não querer voltar a trabalhar, bem como, na mesma proporção, não se sinta mal se vc ficar super bem trabalhando. É normal, é muito gostoso rever os amigos e reativar a vida pré-filhos em algum momento – ou em algum grau.

    Boa sorte na questão do leite. Eu não posso te ajudar, mas estou com todo o pensamento positivo para que dê tudo certo com vcs!!!!

    Um grande beijo!!!

    • Oi Dani (vou responder esse em nome de todos os outros coments que tu deixaste agor ahahaha). Estou bem dividida mesmo entre estar feliz de voltar e estar triste de deixá-lo com outrem.
      Mas sei que tudo são fases, e se eu não aguentar trabalhar, sempre dá pra voltar atrás (não posso dizer o mesmo se eu voltar ao trabalho, porque difícil achar um emprego legal novamente, enfim…).
      Mas agora consegui conquistar a vinda da sogra nos primeiros 15 dias e acho que vai dar tudo certo!
      Obrigada pela visita e pelos comments!
      Beijos

  7. Oi, Denise! Eu tenho um bebe, o João Pedro, que nasceu 10 dias antes do Ben. A pediatra dele disse que daria esses 15 dias depois da licença. Mas será que esse atestado vale para quem tira férias como o nosso caso?

Comente

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s