“Estou grávida, mas a barriga ainda é minha” (sim, plagiando)

Sim, o título foi copiado descaradamente daqui, porque desde quando engravidei, não consigo parar de pensar nele.

Mas no meu caso, o problema não é necessariamente a barriga. Ao contrário da Letícia, não tenho problemas com pessoas colocando a mão na minha barriga. Tá, ela ainda está pequena, está cedo pra dizer, eu sei.

Mas a barriga aqui no título deste post é simbólica. A questão é que, quando tu ficas grávida, parece que a tua vida, teus hábitos, teu comportamento são domínio público. Já repararam?

Vou exemplificar:

“Nossa, tua barriga tá crescendo rápido, não estás comendo demais?” – enquanto eu me deliciava com uma nega maluca na copa.

“Isso aí, tomando muita aguinha, hein?” – enquanto eu encho o segundo copo de água seguido.

“Só na frutinha, hein?” – O.o

“Olha, cuidado com a diabetes gestacional!” – quando eu coloco uma foto de brigadeiro no facebook.

“Não me leve a mal, mas acho você não gostou do novo massagista porque está num momento delicado da vida, precisa de mais carinho” – porque trocou o profissional da quick massagem, e eu tinha adorado o astral zen da massagista anterior.

“E também porque ele é homem. Como estás esperando um menino, passas a repulsar o sexo masculino”. – gente, eu posso ter preferido a massagista anterior pelo simples fato de ela fazer massagem melhor?

“Já engordou quantos quilos?” – O.o

“Esse bebê tá se alimentando bem, hein?” – quando esquento a marmita sempre que o Queridíssimo prepara pra mim e coloca mais do que eu realmente preciso.

“Tudo bem com vocêS? Bem mesmo?”

Ok, confesso que no início da gravidez eu preparei mentalmente um post sobre como as pessoas ficam felizes e atenciosas quando surge uma grávida. Mas agora já estou meio que ficando incomodada com tanta felicidade e atenção!

Anúncios

5 pensamentos sobre ““Estou grávida, mas a barriga ainda é minha” (sim, plagiando)

  1. hehehehehhe
    sinto em dizer mais isso NÃO passa! enquanto tu estiver grávida vai ouvir!
    quando o bebê nascer e ao longo da vidinha dele (no meu caso sei somente até a idade atual 1 ano e 4 meses)

    “-Coloca mais roupa nesse guri”
    “-Tu n acha que ele ta muito agasalhado?”
    “-Esse guri ta passando fome, olha que magrinho!”
    “-Vai dar tudo isso?” (com o prato de comida) ou “só isso?”

    e assim vai…
    prepare o psicológico! heheheheh

    bjão

  2. Xiii…. é como a mãe do Otávio disse: depois que nasce só piora. Te prepara. Mas é muito legal, mesmo assim.

    O que mais me incomodava na gravidez era o povo que ESQUECIA a mão na barriga. Um carinho beleza, nunca me incomodou; mas pessoas próximas (em geral parentes) se achavam no direito de sentar ao meu lado e deixar a mão ali, durante toda a novela, como se fosse o encosto do sofá. Blargh, que abusoooo! Tirando o marido (que, afinal, também é “dono” do conteúdo), todo mundo que fazia isso me irritava. Eu ficava super agoniada, mas e como falar sem magoar a pessoa, que com certeza não fazia por mal, pelo contrário, achava que estava fazendo um carinho?

    Tomara que tu não se importe, porque com uma família do tamanho da tua… hehehehe!

    Beijos amiguinha!

Comente

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s